Ano Fourvière

Julho 2015 – Julho 2016

No dia 23 de julho de 1816, dia seguinte ao da ordenação, um grupo de jovens sacerdotes, cheios de sonhos, dirigiram-se ao Santuário de Fourvière, em Lyon. Aos pés de Nossa Senhora, na pequena capela que se vê ao fundo, fazem sua promessa de fundar a Sociedade de Maria.

Em 2016 celebraremos os 200 anos dessa promessa. Por isso, o período de julho de 2015 a julho 2016 será presidido pelo ícone de Fourvière.

Desde o início, os primeiros maristas imaginaram a Sociedade de Maria como uma grande árvore com diferentes ramos: religiosos Sacerdotes, religiosos Irmãos, religiosas e Leigos. O projeto não obteve o reconhecimento eclesial naquela época. Talvez a conjuntura histórica não fosse adequada.

Atualmente, as circunstâncias são bem diferentes. Reconhecemos com gratidão que o Espírito Santo fez florescer entre nós a vocação laical marista. Milhares de Leigas e Leigos de todo o mundo sentem-se chamados a viver o Evangelho do jeito de Maria conforme a tradição de São Marcelino Champagnat e dos primeiros Irmãos.

As origens da Sociedade de Maria recordam que religiosos e Leigos estão integrados para a missão e chamados a oferecer o rosto mariano da Igreja com a maneira marista especial de ser e de construir Igreja.

O último Capítulo Geral do Instituto Marista convidou a uma nova relação entre Irmãos e Leigos para servir melhor a apaixonante missão que a Igreja confia.

O mesmo Capítulo dizia: Contemplamos nosso futuro marista como uma comunhão de pessoas no carisma de Champagnat. Abertos à criatividade do Espírito Santo que nos pode levar, quem sabe, por caminhos inesperados.

Image